Quando uma pessoa sofre com o vício da dependência química, alguns aspectos são fundamentais para que o tratamento seja pleno, são atitudes imprescindíveis que precisam ser tomadas principalmente por parte do adicto bem como daqueles que o rodeia e convive com ele; familiares e amigos.

Primeiro, é importante que o usuário admita o vício, só assim será possível iniciar um tratamento por livre e espontânea vontade, porém pode ser que isso não aconteça logo de cara, mas ele vai inicia-lo mesmo assim e ao longo da recuperação o sujeito passa a reconhecer o problema. Quando ele admite, é mais fácil de prosseguir e enxergar os transtornos que a droga provocou em sua vida e então se arrepender das consequências. Dentre os tipos de tratamentos mais comuns estão: psicoterapia, medicamentoso, internação (podendo ser total ou parcial) e reuniões em grupos de apoio, os quais são escolhidos de acordo com as necessidades de cada paciente. O ambiente para a terapia deve ter uma estrutura completa para que a recuperação seja plena, por isso deve-se analisar a situação do adicto, qual o tipo de droga que ele usa, se faz consumo há bastante tempo, com que frequência, idade, gênero, em quais circunstâncias costuma ingerir, dentre outros fatores que interferem para decidir pelo tratamento. Além disso, o ambiente para a terapia deve ter uma estrutura completa para que a recuperação seja plena, inclusive a equipe que vai atender deve ser multidisciplinar e os profissionais capacitados para exercer sua função no processo de recuperação.

O apoio dos entes e amigos que realmente se preocupam é essencial, propor que ele se trate, sem ataques e julgamentos é uma forma de demonstrar amor, caso contrário pode instigar ainda mais a vontade da pessoa usar droga, como válvula de escape para esquecer as brigas e acusações. Tente realizar a abordagem num momento que a pessoa esteja sóbria, porque é mais fácil dela compreender a situação. Além disso, durante e após o tratamento, esteja presente, se ele estiver numa clínica de recuperação faça visitas, isso é muito importante para o adicto perceber que ao término terá com quem contar, onde ficar e pessoas que o ajudarão a manter-se longe dos entorpecentes.

Quando o sujeito já não estiver mais em terapia constante, é de total relevância que ele se mantenha longe de pessoas e locais onde costumava usar drogas, relacionar-se com amizades mais saudáveis e adotar novos hobbies sadios que não envolvam entorpecentes ajuda bastante a não sofrer recaídas.

Busque novos hábitos no dia a dia, praticar atividades físicas, relaxar, ocupar a mente com estudos, trabalho e ter foco para mantê-los, bem como para recuperar relações perdidas sejam elas familiares, amorosas, dentre outras.

Para quem busca um tratamento completo para a dependência química, recorra a Central de Clínicas. Nosso tratamento é integral que envolve todos os processos de desintoxicação para reviver com qualidade de vida e alegria.

Uncategorized
admin

Como ajudar um viciado em crack?

Assim como qualquer outra droga, o crack é um entorpecente extremamente perigoso para quem consome pelo fato de ser viciante, a dependência química do usuário com

Leia mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Podemos Ajudar?
Atendimento Whatsapp - Central Clínicas