Quando as pessoas escutam o termo “dependente químico”, automaticamente associam à usuários de drogas ilícitas, porém elas esquecem que remédio também é química e que assim como aquelas que são ilegais, são drogas e podem causar dependência química, inclusive entorpecer a mente do usuário, causando vício na pessoa, afetando seu psicológico e passando despercebido aos olhos da sociedade como dependência por conta da facilidade que podem ser comprados, muitas vezes não é necessário nem prescrição médica já que o consumo não é considerado ilegal.

É comum muitas pessoas desenvolverem o vício em remédio, pois existem medicamentos para diversas finalidades e que provocam os mesmos efeitos de drogas ilícitas tais quais sonolência ou falta de sono, excesso ou inibição de fome, mais disposição e agitação, dilatam as pupilas, entre outros que ao parar o uso, afetam rapidamente a pessoa que acredita na necessidade deles para ter as condutas descrita. Além disso, assim como o uso de entorpecentes, a falta do remédio também faz a pessoa mudar seus comportamentos, ela fica mais irritada, desenvolve problemas psicológicos como ansiedade e síndrome do pânico, passa a ter mais enxaquecas, dores de cabeça e enjoos com frequência, taquicardíaca, que só aliviam com o uso ou aumento da dosagem. O intuito é manter a sensação de bem estar que eles proporcionam, tal como a droga que provoca efeitos e sensações, sentidos apenas com o consumo e o uso frequente por parte do adicto e o corpo e a mente que já não são mais os mesmos, tornam-se dependentes e tolerantes à substância. Ainda existem mais consequências que são altamente perigosas com o vício em remédio, sendo elas:

– Intoxicação, que ocorre principalmente por conta do abuso de ingestão da substância, sendo necessário em alguns casos desintoxicação hospitalar;

– Consumir muitos medicamentos pode anular a interação de outras substâncias no corpo, como alimentos, suplementos, etc., ou até o efeito de outra medicação, podendo piorar problemas de saúde como hipertensão e diabetes, por exemplo, ou provocar danos e falência de órgãos, confusão mental, etc.;

– Assim como o uso de drogas pode provocar overdose que leva à morte, os remédios também podem gerar o problema de forma intencional ou não intencional.

Qualquer medicamento pode provocar dependência, porém os mais comuns são analgésicos, estimulantes, benzodiazepínicos e barbitúricos, estes dois últimos são mais conhecidos como calmantes e utilizados para quem sofre de insônia, irritabilidade ou transtornos mentais como ansiedade. Conforme foi informado, os efeitos se perdem com o tempo e a dosagem precisa ser aumentada para não presenciar as sensações da abstinência, impulsionando até a automedicação. Segundo a Junta Internacional de Fiscalização de Entorpecentes (JIFE), órgão que pertence a Organização das Nações Unidas (ONU), o vício em medicamentos excede o consumo de drogas, sejam elas ilícitas ou não.

Independente da substância, vício é vício e causa dependência tanto física como emocional, há quem seja viciados em jogos por exemplo, por isso que quem consome remédios não é diferente.

Como tratar o vício em remédios?

Quem sofre de dependência química precisa mudar alguns hábitos cotidianos para melhorar a qualidade de vida, estes hábitos são os mesmos para quem sofre de vício em remédio, são eles:

– Fazer exercícios físicos;

– Manter uma alimentação saudável e equilibrada;

– Evitar o consumo de bebidas alcoólicas, cigarros e drogas;

– Proporcionar momentos de lazer e relaxamento como ler, realizar atividades ao ar livre, aderir algum hobby;

– Entre outras atitudes para ocupar a mente como focar-se no trabalho, estudos, manter relações sociais com pessoas que também tenham boas práticas no dia a dia.

Ao pausar o remédio a pessoa vai sentir falta, mas adotando estas condutas ela vai perceber as mudanças naturalmente com o passar do tempo sem precisar deles para dormir, ter mais disposição, se alimentar e assim sucessivamente. Pause gradativamente, se for preciso, realize um tratamento médico multidisciplinar, um psiquiatra pode te dar um diagnóstico do problema.

Uncategorized
admin

Como ajudar um viciado em crack?

Assim como qualquer outra droga, o crack é um entorpecente extremamente perigoso para quem consome pelo fato de ser viciante, a dependência química do usuário com

Leia mais »

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Podemos Ajudar?
Atendimento Whatsapp - Central Clínicas